Morte de morador de Casimiro de Abreu foi por febre amarela

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro confirmou, nesta quarta-feira (15),
que a causa morte de Watila Santos, de 38 anos, morador da área rural de Casimiro de Abreu, foi febre amarela. Watila faleceu no hospital municipal da cidade, onde deu entrada com queixas de dor de cabeça, taquicardia, falta de ar, febre e dor no corpo .

O pedreiro morava com a família, composta por cerca de 30 pessoas, incluindo crianças, num terreno na localidade conhecida como Córrego da Luz. As sete casas do local são humildes, num chão de terra batida. A região, dizem os moradores, é infestada de mosquitos.

A cunhada Camila Oliveira da Silva, de 27 anos, conta que Watila procurou ajuda três vezes na última semana. Segundo ela, ele deu entrada na terça-feira com falta de ar, mas os médicos disseram que era sinusite. Na quinta-feira, ele voltou a passar mal, também com falta de ar, mas mandaram ele voltar para casa dizendo que era uma virose. Na sexta, ele estava muito mal, vomitando e foi levado para o hospital pela terceira vez pelo Corpo de Bombeiros, onde morreu.

 Secretario Estadual de saúde em Casimiro

O secretário de Saúde do estado, Luiz Antônio Teixeira Jr., esteve em Casimiro na tarde desta quarta – feira. O secretario anunciou que os agentes de saúde estaduais, visitarão as áreas rurais do Município e que vai intensificar a vacinação para atender a toda população.

Será montado amanhã dia 16/03, em Casimiro, um hospital de campanha para ajudar nas ações contra a febre amarela. O secretário também não descarta a possibilidade do Exército para ajudar na vacinação em massa em municípios considerados estratégicos para a infestação da doença.

Luiz Antonio, pediu para que a população não visite trilhas e cachoeira e que  permaneçam na cidade pois, a vacina precisa de dez dias para ter eficácia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *