Vereador de Casimiro de Abreu denúncia esquema de compra de votos

O vereador de Casimiro de Abreu, Neném da Barbearia, denunciou nessa sexta-feira(13), no Ministério Público, um suposto esquema de compra de votos envolvendo vereadores e empresários da cidade. Segundo a denúncia, o vereador Bruno Miranda chegou a oferecer 70 mil reais em troca da ausência do vereador Neném na sessão do dia 11 de abril, quando estava na pauta de votações, as contas do ex-prefeito Antônio Marcos. As provas estariam em três áudios gravados pelo vereador durante a suposta negociação.

Em um trecho do diálogo, Neném da Barbearia pergunta sobre o valor que está sendo oferecido pela sua ausência na sessão. De acordo com o parlamentar, Bruno Miranda responde: “50 conto! Eu pensei em apertar e chegar até 60!”. O homem, supostamente o vereador Bruno, também tenta tranquilizar o vereador Neném quanto a repercussão da votação. “É só essa votação. Você não tem compromisso com outras coisas. Esse negócio, passou um mês, ‘nego’ esquece tudo”.

A conversa segue e o homem lamenta não poder participar da negociação. “É que eu não tenho como negociar. Cinquenta barão é cinquenta barão, amigo”, disse. Em outro áudio, Nénem conversa com outro homem, supostamente o empresário conhecido como “Careca”, que chega a oferecer 100 mil reais em troca do “apoio” de Neném para rejeitar as contas do ex-prefeito. “Hoje o que eu posso fazer é chegar aí nos 100 conto. Agora, tem que sentar com Paulinho. A gente desce pra Niterói e você vê o que você precisa”, diz o áudio atribuído a “Careca”.

Em outra conversa, uma terceira voz, que seria do presidente da Câmara Rafael Jardim, também tenta convencer o vereador Neném a faltar a sessão legislativa do dia 11 de abril. “Você precisa pegar sua mulher, ir pra Búzios e só voltar na semana que vem”, aconselha.

Segundo o vereador Neném da Barbearia, todas as conversas foram gravadas no celular dele no inicio do mês de abril, até a véspera da votação das contas do ex-prefeito Antônio Marcos. No seu depoimento ao Ministério Público, o vereador afirmou que tomou a atitude de gravar as conversas para se “resguardar”, pois, segundo ele, essa não foi a primeira vez que tentam comprar o seu voto. Junto ao depoimento, Neném da Barbearia também entregou um pen drive com todas as conversas gravadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *